Desde 2007 no AR!

 

A Alagoas

'DNA do Crime': o que é real e o que é ficção na série brasileira

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

'DNA do Crime': o que é real e o que é ficção na série brasileira

Seriado brasileiro é baseado em um mega-assalto que aconteceu em 2017 na fronteira entre o Brasil e o Paraguai

Por Paulo Nobuo com Zappeando24/11/2023 18h30 - Atualizado em 24/11/2023 18h44
'DNA do Crime': o que é real e o que é ficção na série brasileira
Seriado brasileiro é baseado em um mega-assalto que aconteceu em 2017 na fronteira entre o Brasil e o Paraguai - Foto: Divulgação/Netflix

A série "DNA do Crime" ("Criminal Code") é uma das mais caras que a Netflix produziu no Brasil e já tem gerado bons resultados desde o lançamento em 14 de novembro: além da grande repercussão nas redes sociais e das críticas positivas por parte da imprensa especializada, a atração está no topo dos seriados mais vistos na plataforma de streaming.

 

"DNA do Crime": o que é real e o que é ficção na série


Após um assalto de proporções épicas a uma instalação de uma seguradora de valores em Ciudad del Este, no Paraguai, os policiais federais da delegacia de Foz do Iguaçu, no Brasil, empreendem uma investigação inédita em "DNA do Crime".

Seguindo a trilha das amostras de DNA coletadas, os investigadores descobrem um fio que conecta o roubo no país vizinho com outros crimes recentes e desvendam um plano ainda maior envolvendo criminosos dos dois países. Por fim, a análise de um único caso transforma-se na maior investigação contra roubos a patrimônio da história do Brasil.

 

Série "DNA do Crime" é baseada em fatos reais?

Sim. O seriado da Netflix é livremente inspirado em um mega-assalto a uma transportadora de valores em Cidade do Leste, na fronteira entre o Brasil e o Paraguai, em 2017. A investigação feita pela Polícia Federal identificou o DNA de mais de 50 pessoas envolvidas, o que ajudou a solucionar o caso.

Após a invasão da empresa de transporte de valores, o grupo de criminosos - cujos integrantes faziam parte do Primeiro Comando da Capital (PCC) - abriram um cofre com explosivos e fuzis, roubando aproximadamente R$ 125 milhões. A ação dos assaltantes durou mais de três horas.

Durante a fuga, bandidos incendiaram ao menos 13 veículos para tentar despistar os policiais e ainda abandonaram cinco caminhonetes blindadas, todas com placas de São Paulo. Durante a ação, três suspeitos morreram e 15 foram presos em Cascavel, Foz do Iguaçu e Guaíra. Além da apreensão de armas e explosivos, foram recuperados R$ 4,5 milhões em cédulas de dinheiro.

As amostras de DNA foram coletadas pela Polícia Federal após uma perícia realizada em uma mansão em Ciudad del Este, que teria sido usada pelos suspeitos como base estratégica para o mega-assalto. A minuciosa investigação por meio de material genético foi fundamental para identificar e a condenar alguns dos responsáveis pelo crime.

 

"DNA do Crime": o que a Netflix mudou na série

Protagonizada por Rômulo Braga, Thomás Aquino e Maeve Jinkings, a série "DNA do Crime" é baseada no mega-assalto que aconteceu de verdade em 2017, mas não tem o compromisso de retratar, de forma exata e fiel, os eventos ocorridos na época.

Apesar da inspiração, a atração é uma obra de ficção, e não documental, com cenas, personagens, nomes e fatos criados exclusivamente para o desenvolvimento da história e entretenimento do público.

Santana Oxente:: O MAIOR PORTAL DE NOTÍCIAS DO SERTÃO ALAGOANO

oxente_santana69@hotmail.com
www.santanaoxente.net

Newsletter

Receba noticias em primeira mão. Assine nossa Newsletter