“Uma palavra que bem exprime o sentimento dominante neste Sábado Santo é a palavra “vazio”. Vazio, não apenas porque o próprio altar está despojado de sua normal ornamentação, como a representar a momentânea partida de Jesus. Mas também porque porque, como nos afirma o Evangelho, o próprio túmulo se encontra ‘vazio”, pelas mulheres que vão ungir Jesus. Mas ao contrário de um sentimento de vazio desesperador, de angústia, é um vazio prenhe de esperança, é um vazio que indica que algo estás para acontecer. É um vazio que já antecipa as alegrias da Páscoa, que antecipa o anúncio da vitória definitiva de Jesus sobre o sofrimento e a morte. E é um vazio fecundo, pois sabemos que o sepulcro vazio não significa perda, mas é sinal de esperança. Feliz Páscoa! Frei Sandro Roberto da Costa OFM Transcrito de publicação em grupo de watsapP: ECC By Padre Adauto Alves Vieira”

COM MORBIDADE OU COMORBIDADE? Os dois jeitos estão corretos. No primeiro caso, a preposição “com” está separada do radical do termo; “Substantivo feminino; associação de duas ou de várias doenças que aparecem de modo simultâneo num mesmo paciente. Exemplo: hipertensão arterial e diabetes são comorbidades, ligadas à obesidade. Fonte: dicio.com .br”

ORIGEM DOS NOMES DOS ESTADOS BRASILEIROS. Mais dois do nordeste. “MARANHÃO, o termo remonta ao século dezesseis. Na verdade, o próprio rio Amazonas e toda a região ao seu redor foram chamados assim durante séculos. Vem do espanhol “Marañon”, especula-se que por trás da palavra, esteja a ideia de negação, que ali, não era o mar, assim como há a possibilidade de referência, aos cajueiros, tão presentes na região. Do tupi-guarany “O-mar-que-corre”. Voltemos a origem do nome do estado de PERNAMBUCO: “Além de outras leituras para a expressão tupi, tem surgido uma versão que Pernambuco vem de “Fernãobourg – “O Burgo de Fernando, em referência a Fernando de Noronha, primeiro português a receber da coroa portuguesa, permissão para explorar pau-brasil naquela região. Fonte: By João Paulo Vicente nationalgeographicbrasil.com.br
“AO BEM DA VERDADE” ou “A BEM DA VERDADE”? “Exprerssão que significa: Para falar a verdade; seguindo fielmente o que é verdadeiro, expressando a exatidão e a realidade dos fatos, das circunstâncias, realmente. Uso em uma frase: Exemplo: “A bem da verdade, eles não fizeram mais do que sua obrigação.” Fonte: dicio.com.br”
Abrimos aqui um parêntese, para parabenizar o nosso confrade, Djalma de Melo Carvalho, pela reedição [2ª Edição] do livro: “FESTAS DE SANT’ANA – 1ª Edição: 1977”. Um dos livro que na minha juventude, me inspiraria para que viesse a tornar-me também escritor.
TERMOS NORDESTINÊS
“ATROADO: adjetivo; que estremeceu sob o impacto de um estrondo; sentido figurado: atordoado, sob efeito de grande barulho, ou estrondo;
BRÔCO: adjetivo; Brasil; bronco, abobalhado, sem vivacidade; caduco, senil. Exemplo na frase: “Ando surdo e brôco.”
BARRUFAR: Verbo intransitivo, pronominal e transitivo direto; corruptela de ‘Borrifar’. Aspergir, orvalhar, chuviscar artificialmente. Muito usado nos intervalos de brigas de galo, um Fonte: Google.com.br dicio.com.br e dicionário Priberam.

NOTA DE PESAR: A poucos instantes de encerrar esta crônica, fiquei sabendo do falecimento do amigo, Alexandro Alves Pereira (Alex do condomínio Brisa da Serra, que consertava computadores) vítima de Covid-19. Registramos nosso profundo pesar, a família enlutada, e que Alex que fez sua Páscoa, chegue ao Reino Celeste junto com Jesus Cristo.

EM SINAL DE LUTO, POR ALEX E FAMÍLIA, ESTA CRÔNICA NÃO SE ENCERRARÁ COM MOMENTO DE HUMOR.

Fabio Campos, 03 de Abril de 2021.