Foto: Reprodução/internetRs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=trueGovernador Renan Filho durante coletiva online

O governador Renan Filho apresentou, na manhã desta segunda-feira (15), um balanço dos atendimentos realizados no Hospital Metropolitano durante os 30 primeiros dias que em realizou o acolhimento de pacientes com Covid-19 em Alagoas e confirmou que vai entregar hoje o protocolo sanitário que estabelece regras permitindo o retorno de algumas atividades no estado.

Segundo ele, o que será executado dentro do protocolo é um distanciamento social controlado e não uma flexibilização. “Vamos testar as possibilidades para que gradativamente e responsavelmente a gente possa analisar isso. Tem sido importante o papel dos MPS e certamente vamos construir um caminho que possa contar com apoio de todos. A gente precisa conversar com todos para que a gente encontre o melhor caminho”, disse Renan sobre o questionamento feito pelo MPF e MPE.

O governador afirmou ainda que mesmo a aplicação desse distanciamento social controlado, o estado vai continuar testando e avaliando a curva da doença, para que se necessário, o isolamento total possa ser adotado novamente.  “Se isso ocorrer o estado vai verificar quais são as ferramentas para controladamente é evoluir”, completou ele.

30 dias de Atendimento no Hospital Metropolitano

Durante os primeiros 30 dias de funcionamento, o Hospital Metropolitano atendeu 303 pessoas, sendo 157 receberam alta média, 108 permanecem internados e dois foram transferidos. Além disso, o governo ainda com a disponibilidade de mais de 10 novas UTIs no Hospital Veredas.

“Hoje, 30 dias de entrega do hospital metropolitano. Viemos agradecer a cada um que está na frente do combate ao coronavírus. Já são mais de 100 dias de pandemia e estamos trabalhando diariamente. Esse mês salvaremos mais vidas e criaremos condições necessárias para salvar a vida dos alagoanos”, reforçou Renan.

Segundo a pesquisa da Universidade de Pelotas, 10% da população em Maceió já possui anticorpos, o que significa que já foram 100 mil pessoas contaminadas. "Mas como se a gente só identificou 20 mil casos? Algumas pessoas podem perguntar isso. Nós temos crescido o número de testes e mais pessoas confirmadas vão aparecer. Há uma redução de demanda por leitos hospitalares e redução no número de mortes", assegurou ele.

O governador detalhou que o cenário da pandemia vem mudando em Alagoas quando é perceptível que o número de casos estão caindo em Maceió e crescendo em algumas cidades do interior, o que vem aumentando a demanda hospitalar.

O Hospital em Porto Calvo deve ser inaugurado nos próximos dias e vai ajudar ao governo a fazer essa expansão dos atendimentos no interior. “Vou ligar para o ministro da saúde e dizer que precisamos de respiradores para o Hospital do Norte, já que os outros foram utilizados nos outros hospitais".