Foto: Reprodução / TV Gazeta
Vítimas de Água Branca estão sendo veladas em um velório coletivo, no ginásio de esportes municipal.

Os corpos das vítimas alagoanas que morreram no acidente com um ônibus, em João Monlevade, Minas Gerais, estão sendo velados, por parentes e amigos em municípios do Sertão de Alagoas. Dos 19 mortos na tragédia, 14 foram trazidos para o estado por um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), nesta segunda-feira (7).

A cidade de Água Branca preparou um velório coletivo para as seis vítimas do município que morreram no acidente. O corpo de uma delas ficou por um tempo no local e, depois, foi encaminhado para um velório particular na residência da família, localizada na zona rural da cidade.

Três corpos serão velados em Pariconha, dois em Delmiro Gouveia e outros dois em Mata Grande. Um corpo ficou na Bahia. 

Os sobreviventes também fizeram a viagem no avião da FAB e foram transportados para suas residências.

Os mortos e os sobreviventes da tragédia saíram do Aeroporto de Pampula, em Belo Horizonte, às 12h51. O avião da FAB chegou a Paulo Afonso por volta das 15h40.  Os corpos de outras quatro vítimas foram levados pra São Paulo e o 19º já foi retirado por parentes. Por volta das 18h30, as 13 vítimas alagoanas chegaram para serem veladas nos municípios do Sertão de Alagoas, trazidas pelo Corpo de Bombeiros. 

Os horários dos sepultamentos estão previstos para às 11h, desta terça-feira (7).

Em Água Branca, o ginásio de esporte do município ficou tomado por parentes e amigos das vítimas que participam de um velório coletivo. Uma equipe da secretaria municipal de Saúde está no local para dar suporte aos presentes e fazer o controle referente as medidas sanitárias de combate ao coronavírus. O uso de máscara é obrigatório.

A chegada dos corpos em Água Branca também causou grande comoção na população. A cidade preparou uma estrutura para realizar o velório coletivo e assim homenagear e se despedir dos moradores que perderam a vida na tragédia em Minas Gerais.

Veja vídeo:

 

O acidente

O ônibus da empresa Localima saiu com os alagoanos do Povoado Santa Cruz do deserto, em Mata Grande, na última quinta-feira (3), com destino a São Paulo, mas o veículo caiu  na sexta-feira (4), de um viaduto conhecido como "Ponte Torta", em um trecho da BR-38,  na cidade mineira de João Monlevade. A principal suspeita do que causou o acidente é de falha no freio do veículo. 

O motorista do ônibus e outros cinco passageiros conseguiram pular do ônibus antes dele cair do viaduto. O condutor do coletivo se apresentou mais cedo, nesta segunda-feira (7), à polícia. O depoimento dele pode ajudar na investigação das causas do acidente.

Onze passageiros permanecem internados: oito no Hospital Margarida, em João Monlevade; e três em hospitais de Belo Horizonte. No domingo (6), a Defesa Civil atualizou informações sobre o acidente e confirmou que no total 48 pessoas estavam ônibus.

 

*Sob supervisão da editoria