N Nacional

Um feriadão para refletir o momento atual

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
 

Um feriadão para refletir o momento atual

Páscoa acontece em meio ao pior momento da pandemia; médica alerta sobre necessidade de medidas para evitar cenário ainda grave

↑ Momento pede reflexão sobre ponto que atingiu a pandemia no país, com mais de 300 mil mortes pela Covid e mais de 3.500 somente em Alagoas (Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil)

Esta é segunda Páscoa em que o mundo vai passar em isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus. A celebração acontece no pior momento da pandemia da Covid-19 no país, que já soma mais de 300 mil mortes pela doença, com recordes diários de óbitos. Na última quarta-feira foram 3.950, de acordo com consórcio de veículos da imprensa.

E em Alagoas não é diferente, são mais de 3.500 óbitos. O Governo do Estado renovou a fase vermelha diante do aumento do número de óbitos pela doença infecciosa. O novo decreto tem validade de 14 dias, contados a partir da 0h da última quarta-feira (31/04).

Por esta razão, famílias tiveram que se reinventar para não deixar de lado a tradição cristã mesmo diante do longo período da quarentena. Marcela Maria que mora em Traipu sempre costumava passar o feriadão da Páscoa com a família em Maceió. Ela, que é bastante religiosa, participa de missas e reflete muito sobre o sacrifício de Jesus Cristo que se encarnou como humano com o objetivo de morrer pelos pecados da humanidade.

“Já são duas Páscoas distante da família querida da capital. Mas tem um propósito maior. Estamos sofrendo demais com a distância dos entes queridos e mais ainda por tantas mortes não somente no Brasil, mas como no mundo”, destaca Marcela.

“Transportando a celebração para 2020, parece que descobrimos – ou melhor, redescobrimos – um pouco da importância de ainda termos comemorações como essa na atualidade, mesmo distantes”, acrescentou.

Rosinalva Lamenha é totalmente contra aglomeração em qualquer data festiva que seja. “Não é o momento, infelizmente tem muita gente morrendo. Quando não, ficando com sequelas por causa do coronavírus. Já discuti com membros da família por essa desobediência, porque têm muitos que insistem em participar de almoços, festas, etc”, contou.

“Eu mesma vou passar na minha casa com meus filhos e esposo, quem quiser que se junte, mas depois não chore pelas consequências. Não satisfaz apenas uma videochamada. No entanto é o máximo que podemos fazer para poupar a nossa vida e do próximo. Tenhamos mais empatia neste momento”, pondera.

A infectologista e consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Raquel Stucchi, alerta que diante do colapso na saúde brasileira é necessário evitar um cenário ainda pior e isso depende da adesão das pessoas às medidas de isolamento social.

Stucchi enfatiza que no feriado da Páscoa a recomendação é para bque a população fique em casa, não viaje nem faça festa ou confraternização. “O que vivemos hoje é reflexo do que fizemos três semanas atrás, e, se houver muitos deslocamentos na semana que vem, vão faltar leitos, insumos e veremos milhares de mortes diárias”, reforça.

Em Alagoas, o índice de ocupação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) para pacientes com Covid-19 na rede pública de saúde, está em 85%. Durante o período dos 14 dias, pessoas estão proibidas de circular nas ruas das 21h às 5h, o acesso às praias também está proibido; bares, restaurantes e similares só poderão atender pelos sistemas de delivery ou pague e leve.

Paixão de Cristo é apresentada por grupo na Cidade de Maria

Encenado por grupo de São Miguel, espetáculo gravado na Cidade de Maria será exibido nesta sexta, às 20h (Foto: Cortesia)

Um grupo de São Miguel dos Campos, interior de Alagoas, vai apresentar nesta sexta-feira (2), a encenação da Paixão de Cristo, às 20h, em uma live pelos canais Ataf e Portal Alagoas NT no YouTube.

O espaço cedido para a apresentação foi o Complexo Teatral Cidade de Maria, localizado no povoado Folha Miúda, município de Craíbas, Alagoas, onde todo o ano acontece tradicionalmente a Paixão de Cristo, mas que precisou ser interrompida em decorrência da pandemia. Só para ter uma dimensão do local, cerca de 30 a 40 mil pessoas são atraídas pela encenação da morte e ressurreição de Cristo.

André Vieira, diretor e produtor geral do espetáculo, salienta que o momento requer cuidados. Em respeito ao povo miguelense, alagoano e de todo o Brasil, que acompanha o grupo, desde o mês de janeiro foram iniciados os trabalhos de produção e gravação do espetáculo na Cidade de Maria, em Craíbas, Alagoas.

“Janeiro e fevereiro foram as gravações e março a parte de edição para exibirmos a live desta sexta-feira. Nos reinventamos nesta pandemia, respeitando todos os protocolos sanitários e de segurança, com distanciamento e redução do número de figurantes. No ano passado não apresentamos e esse ano tomamos essa iniciativa para manter viva e passar a mensagem através da arte”, explicou André.

Espetáculo foi gravado no município de Craíbas

O diretor e produtor geral do espetáculo diz que foi uma experiência única gravar na Cidade de Maria, que o trabalho acontece geralmente com mais de 200 pessoas durante os últimos 25 anos em São Miguel dos Campos, porém este ano, foram 120 delas divididas por cenas e dias de gravação em Craíbas. André Vieira é o fundador da Associação Teatral Arte e Fé (Ataf), do município de São Miguel dos Campos, em Alagoas.

No ano passado não houve espetáculo; este ano, encenação foi gravada com número reduzido de figurantes (Foto: Cortesia)

O fundador da Cidade de Maria, o ex-deputado Givaldo Carimbão, disse que as gravações do grupo foram realizadas em dois meses e meio com toda a estrutura e responsabilidade para a live.

“As igrejas estão abrindo com 30%, mas resolvemos por bem não realizar o espetáculo este ano, até fizemos uma gravação com a Rede Vida da TV há uns quatro anos, que reprisa. Estamos fechados para visitação e Paixão de Cristo, assim como Pernambuco que tem o maior espetáculo ao ar livre do mundo”, explica.

Nossa Senhora Aparecida vai ganhar espaço

Uma novidade que precisou ser adiada na Cidade de Maria diz respeito ao espaço construído em homenagem a Nossa Senhora Aparecida, bem semelhante ao local onde está a imagem original encontrada por pescadores no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em São Paulo.

homenagem a Nossa Senhora Aparecida

(Foto: Cortesia)

Carimbão revelou que a construção que ficou pronta no dia 12 de outubro do ano passado, mas ainda não foi inaugurada por conta da pandemia. “Em respeito às pessoas, às vidas perdidas, não inaugurei, o que fiz foi rezar um terço com minha família, esposa e filhos. Mas está belíssima a construção, bem parecida com a de Aparecida do Norte”, concluiu.

Espaço na Cidade de Maria em homenagem a Nossa Senhora Aparecida (Foto: Cortesia)

MISSAS

A Arquidiocese de Maceió divulgou os horários das celebrações na Catedral Metropolitana de Nossa Senhora dos Prazeres, localizada no Centro de Maceió. Nesta sexta-feira (2) tem o Ofício da Agonia às 12h e Paixão do Senhor às 15h; no sábado (3), haverá a Celebração da Vigília Pascal às 19h; e no domingo (4) a Celebração da Páscoa do Senhor, às 9h e às 17h.

31

Fonte: Tribuna Independente / Texto: Ana Paula Omena

Santana Oxente:: O MAIOR PORTAL DE NOTÍCIAS DO SERTÃO ALAGOANO

oxente_santana69@hotmail.com
www.santanaoxente.net

Newsletter

Receba noticias em primeira mão. Assine nossa Newsletter